terça-feira, 17 de agosto de 2010

Poema

Nada saberei dizer de tuas agruras.
A fenda obscura de teu beijo cala;
é ironia pura.
Disfarça a dura pele que trazes
a sustentar a boca
cariada de desejos.

Lembrarei apenas a distraída forma
que contornou certa manhã meus desencontros.
E percorreu-me afoita a alma,
e num enlace torto, desvendou meus medos.

4 comentários:

Jo Bittencourt disse...

Adorei!

*

Hilton Valeriano disse...

O verso inicial de grande impacto! belo!

Jorge Elias disse...

JÔ Bittencourt de volta!...
Muito bom recebê-la poeta.
Agora ... Aquele vídeo com um(a) jovem agitada no ventre ... Será que a poeta encontra-se grávida?
Aguardo notícias.

Abraço,

Jorge Elias disse...

Amigo Hilton, obrigado.

Forte abraço,