segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Felipe Stefani

Círculo Místico



Todo homem tem uma beleza terrível
na órbita de seu abismo.
Ela alcança sua própria distância
e diz adeus.
Aqueles que a procurarem
nas horas que dançam
ouvirão anjos.


Ela dança num círculo místico,
nas correntezas que abrigam o mundo.
Aqueles que a alcançarem
ouvirão anjos.


Nunca mais amou os presságios,
os perigos do mar,
o medo.
Para além das margens ele morreria.
Esqueceu em si mesmo seus cantos profundos.


Todo homem tem uma dinastia
cravada em seu silêncio.
Aqueles que a alcançarem
ouvirão anjos.



Felipe Stefani é poeta, artista plástico e fotógrafo. Nasceu em São Paulo em 1975. Já fez de tudo, até biologia, maz foi na arte que encontrou meios de se relacionar com o mundo, como que dentro de um silêncio lírico... Tem ilustrado livro de outros escritores e já publicou seus poemas em diversos sites literários. Em 2009 publicou o livro “O Corpo Possível”, editado pelo coletivo Dulcinéia Catadora. Ilustrou “Rascunhos do absurdo” de Jorge Elias Neto. Em 2010 publicou “Verso Para Outro Sentido”, pela Escritura Editora. Tem seus desenhos publicados no site: WWW.pbase.com/sodesenho/felipe_stefani


Escreve também em seu blog: http://cultuar.blogspot.com/E-mail: felipe.stefani@uol.com.br


3 comentários:

Hilton Valeriano disse...

Belo poema, amigo!

Tania regina Contreiras disse...

Muito bom, vou lá ler mais...
eijos,

Mirze Souza disse...

EXCELENTE!

No Círculo Místico, a beleza, os mistérios, abismos e medos.

Impossível alcançar a dinastia do seu silêncio. Estou longe de ser anjo.

Perfeito, Felipe!

Parabéns!

Mirze