segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Dante Milano



Salmo perdido



                                        Dante Milano


Creio num deus moderno,
Um deus sem piedade,
Um deus moderno, deus de guerra e não de paz.


Deus dos que matam, não dos que morrem,
Dos vitoriosos, não dos vencidos.
Deus da glória profana e dos falsos profetas.


O mundo não é mais a paisagem antiga,
A paisagem sagrada.


Cidades vertiginosas, edifícios a pique,
Torres, pontes, mastros, luzes, fios, apitos, sinais.
Sonhamos tanto que o mundo não nos reconhece mais,
As aves, os montes, as nuvens não nos reconhecem mais,
Deus não nos reconhece mais.

4 comentários:

Tania regina Contreiras disse...

Nossa, receio que já não nos reconheça mesmo!
Òtimo poema...
bjos

Mirze Souza disse...

MUITO BOM!

Gostaria de ter uma certeza assim, mas dá medo!

Mirze

Jorge Elias disse...

Mirze:

Acabei fazendo o comentário após o "Papo de passarinho|"
Coisa de velho!...

Jorge Elias disse...

Tânia:

Acho fascinante quanto um poeta consegue imprimir tamanha força ao poema.
Concordo: Belissimo poema

Abraço,