segunda-feira, 28 de julho de 2008

Iluminuras


I


A vida;
esse diário de olhares.


II

E nós que já não
nos vemos nos olhos.


III.

Mas como perder de ver
esse seu jeito de vestir despindo-se
ilustrando de verde a manhã das decrepitudes.


(O estalo da palavra)

4 comentários:

Dauri Batisti disse...

belo poema jorge. Boas inspirações e o meu abraço.

livia soares disse...

Pois estou precisamente a tentar manter atualizado o meu "diário de olhares"... bela definição.
Tenho vindo aqui em silêncio, mas agora estou sentindo necessidade de comentar.
Um abraço.

aya disse...

Excelente!

Val Freitas disse...

é lindíssimo.
me fez um bem...!
obrigado, Jorge.