sexta-feira, 8 de fevereiro de 2008

Lavrar a carne


Desacato curvas
às expensas da vereda de teus olhos.
Bolino esse olho d´agua
bebericando-te pelas margens.

Brinco de adivinhar desvios
enquanto procuro à nascente de tudo.

Não me agrada a mesmice
de seguir margeando o leito.
Prefiro ir redescobrindo atalhos...
Sou grilheiro,
gosto de tomar posse do que há de devoluto.

Por onde sigo,
sinto o crepitar dos seixos
e o tilintar dos ossos.

Marco com saliva meus passos.

Comungo com a cuia das mãos os teus cristais.

Ah, esse calor calcitrante...

Que venha a tempestade!
Trisca relâmpago!
Range bambual!

Gosto assim! [...]
Que desçam as águas
comendo essas margens ressequidas.
Que estremeça a terra
com tuas palavras distorcidas.

Quero essas várzeas alagadas;
esse chão purificado!

Largar-me como um ilhéu
sobre esse promontório
a apreciar a descida das águas...

E depois... Só encontrar recantos ...

(Verdes Versos)

15 comentários:

Maria disse...

..."Não me agrada a mesmice
de seguir margeando o leito. "...

Gosto!!!

Bonito post, bom fim de semana
bjs

John Doe disse...

Gosto assim! [...]
Que desçam as águas
comendo essas margens ressequidas.
Que estremeça a terra
com tuas palavras distorcidas.

concegue se fazer entender em palavras isso é magica meu amigo, quem sabe se continuo a le-las repetidas vezes não concigo um pouco delas também...

Jacinta disse...

Ando meio lenta, precisando da coragem das águas
destemidaspara desafiar e,assim, sair da margem e aventuar nas curvas da vida.
Um abraço

Jacinta

Gi disse...

as margens desse rio transbordam de poesia. fiquei alagada no meio desse caudal.

Belíssimo

Um beijo. resto de um bm domingo

Luis Eustáquio Soares disse...

no recanto dos encantos os raios púbicos da dissonância...
te convido a uma visita
abraço,
luis

Anônimo disse...

Adorei tudo por aqui!
Beijos
http://sex-appeal.zip.net
http://cara-nova.zip.net

Oliver Pickwick disse...

Reinventaste a aventura da vida, caro JEN. Com muito mais liberdade, é claro!
Abraços!

KÁTIA CORRÊA DE CARLI disse...

Concordo!
Com tudo o que vc falou e com o que calou também!
Tampouco me agrada margear o rio (por quê temos que sempre margear? Triste condição humana de viver de acordo com os preceitos da sociedade...)

Mudando de assunto: estou toda enrolada com exames médicos, mas te escreverei assim que resolver as coisas por aqui.
beijos

nuno disse...

bonito, isto.
'gosto de tomar posse do que há de devoluto'
é assim com as palavras, não é?

um abraço

Jorge Elias disse...

Maria

Boa semana para vc também


****
John doe

Grato por suas palavras.

Abraços


****

Jacinta,

Não me esqueço de seus passeios na praia.
Atire-se amiga, os limites existem para serem suplantados.

Abraços


******
Gi,

Fico feliz que tenhas gostado.


****

Luis,

Visitei seu Blog,

volto sempre.


*****

Anônimo


Grato pela visita.


*****

Grande Oliver,

Adoro seus textos.
Geram gargalhadas, reflexões e muita polêmica


****

Kátia


Ilustre amiga, estou aguardando o contato.
Não concorde com o que não falei. Se o poeta já é um fingidor escrevendo (já dizia Fernando Pessoa), imagine no pensamento.

Abraços


OBS: Eu sei que é chato essa resma de resposta, mas é que muitas vezes encontro-me atarefado e fica dificil responder individualmente.

Abraço para todos.

Opuntia disse...

Fico muito feliz ao receber a visita de um grande poeta em meu humilde blog. Volte sempre.

Gostei muito de tudo que li por aqui, especialmente deste poema.

Grande abraço!

Mésmero disse...

Marcar os passos com saliva é perigoso, pode-se perder a trilha.

Gostei muito do Frida, comentei lá mas algo saiu errado...

Rui Caetano disse...

Os recantos da águas reservamos nossos sonhos mais longíquos.

Dauri Batisti disse...

Esse tema "romântico", apesar de tão batido, continua redendo poemas tão bonitos.
O mesmo caminho - o amor e seu fluxo, seus fluidos, suas águas e deságuas - feito como se fosse outro.
Parabéns.

Jorge Elias disse...

Opuntia


Grato pela visita.
Quando ao " grande poeta", não devemos nos esquecer do que disse Fernando Pessoa em seu livro do desassossego:

" Tudo que somos é a impressão dos alheia e tudo o que sabemos é uma impressão nossa"

Abraços,

****

Mésmero,

Não esses passos... Esses, ficam guardados na memória.

Fico feliz que tenha gostado do poema que fiz sobre a Frida. Ela tem uma trajetória de vida fantástica (além de obras muito significativas) e merece sempre ser lembrada.
Abraços



****

RuiCaetano,

Obrigado pela visita.
Já, já chego em suas praias.


****

Dauri

É impossível não escrever sobre determinados temas, usar determinadas metáforas (faz parte do meu aprendizado como poeta).
E vamos assim, caminhando sobre as pegadas dos grandes poetas que nos influenciaram e, quem sabe, deixando algo de nosso.

Abraço,