segunda-feira, 25 de agosto de 2008

Pressagio


Chegará o dia em que de tanta querença, o mar chegará às praias, às portas, às casas... E aqueles que tanto por ele brigaram, não terão êxito em desfazerem-se de tão insistente amante!

(O estalo da palavra)


Kioto


A redoma estilhaçada
faz frágil o ser antropocêntrico.

A névoa, agora, é cinza de morte.
A hora se apresenta túrgida de desassossego.

O suor que nasce e evapora do febril pensante
é quente, como no Holocausto de ontem.

A vidraça,
o vapor,
a névoa,
sobretudo o calor,
fundem o metal encantado de Wall Street,
em pleno Sol de meio-dia.

É o céu um espelho partido,
forjado por todos os alquimistas que acenderam o fogo da ambição.

O girassol torporoso,
refugia-se entre as pétalas
que não tombaram
ao orvalho ácido do alvorecer.
Ele é incapaz de encarar
a verdade deste Sol.

O que dizer dos seres ignotos
que se admiram nos espelhos das nuvens...

Onde está a cuspideira,
para que eu possa comemorar a soberba humana?

Homem,
mosaico de fluidos,
senhor dos pensamentos dúbios e incoerentes,
não tardes esperando que tua racionalidade te dê o norte.
Ouve os ociosos que, perdidos entre estrelas,
antevêem o simples fim.

A rosa oriental
que nasceu aos pés do cogumelo de poeira,
já era rubra, ao brotar.
Hoje,
ganhou um toque tropical,
está mais encarnada,
herança diária
dos inocentes exangues,
que teimam em nascer,
à margem do mundo globalizado.

Os seres débeis já se esvaem
na fumaça que escreve números
em todo o céu.
E o principal protagonista
não lê os escritos das ondas,
que, insistentes,
desistiram de lavar as areias
e passaram a deixar os seus escritos,
nas memórias de uma geração

(Verdes versos)

4 comentários:

livia soares disse...

Olá, Jorge.
Grata pelas suas visitas.
Venho de um inquietante passeio pelo seu blog. Incitou-me a reflexão.
Um abraço.

Mésmero disse...

O que é o poeta

Poesia... saindo de hecatômbes

As desgraças decorrentes sempre nos faz refletir um pouco mais.

KÁTIA CORRÊA DE CARLI disse...

Forte! Catastrófico! Real
Aguardo seu telefonema
beijo

Educadora em Direitos Humanos disse...

Jorge, poetamigo; tua visita ao meu humilde blog me deixa muito feliz. Obrigada. Volte sempre. Teu blog está cada dia mais exuberante. Parabens. Quanto aquela informação sobre o meu povo guarani, dá uma chegada na coluna Cumplicidade, no meu blog; lá você encontrará um link pra Olivio Jekupé, uma amigo guarani que pode falar mais sobre a cultura dos nossos parentes. Paz em Nhande Rú, Graça Graúna.