sexta-feira, 30 de maio de 2008

Lente


Era outono...

Duas meninas
deixaram suas casas para trás,
na lonjura da esquina.

Eram crianças...
No pires dos olhos
ainda não transbordara a mentira;
ela apenas rodopiava...

E por não bastar o milagre
da inocência;

era outono...


(Para não dizer que não falei...)

12 comentários:

Leila Lopes disse...

As lentes captam o que ronda, sem dúvida.
Tempos bons e contraditórios.
Bjos

Jacinta Dantas disse...

E outono é tempo de mudança, de transição.
Abraço

Dauri Batisti disse...

e por não bastar o milagre da inocência; era outono... Gostei.
Abração.

Lunna Montez'zinny disse...

E por não bastar o milagre
da inocência; - o que mais posso eu dizer desse seu belo poema. Que delícia.

Ps. Será que me autorizaria postá-lo no Uni Versus do Acqua? Abraços meus...

Jo disse...

Girar, estamos sempre nesse movimento, sobre e dentro desse aspiral, algumas coisas ficam para trás, outras tornam. Do outono, palavra escrita, fica a memória.


:^)

KÁTIA CORRÊA DE CARLI disse...

Outono, não gosto, fico mais triste. Não sei o porquê.
Saudade de você (rimou, sem eu querer) rs.
beijos saudosos

KÁTIA CORRÊA DE CARLI disse...

Continuo com saudade e agora um pouquinho preocupada... você sumiu!
Apareça... sinto sua falta...
beijo e luz

jorge disse...

PREZADOS AMIGOS?

ENCONTRO6ME EM UM CURSO E RETORNAREI COM 20 DIAS;

JORGE

Gi disse...

era Outono

na Primavera da vida

um beijo

até breve

Jacinta Dantas disse...

Ei Jorge,
saudade de te ver por aqui.
Bom fim de semana

Jo disse...

O poeta sumiu?!

KÁTIA CORRÊA DE CARLI disse...

Temos planos mil para seu regresso... rs
Só para adiantar: café (pode ser chocolate quente ou outra bebida), prosa, poesia e amigos por encontrar.
Que acha?
beijos saudosos