quarta-feira, 30 de abril de 2008

Identidade



Busco um poema
de que quando lido
se perceba nas mãos a densidade.

Que aproveite
O tato refinado dos artelhos,
e a sensibilidade imaginativa dos pentelhos.

Que tenha um visgo,
Que grude por toda a eternidade
as borboletas no céu.

(Verdes versos)

13 comentários:

Hanne Mendes disse...

Ai, que imagem linda essa da última estrofe! Por hoje, ganhei a noite.

Abraço.

Maria disse...

Busca o pema, e comemora o 1º de Maio, que também é de poesia!

Beijo

Dauri Batisti disse...

Gosto desse seu jeito manso de dizer tantas coisas em tão poucos versos.

Um abraço

ivone disse...

busco um poema

busco__te no poema




busca_me assim também

Jacinta disse...

Ei Jorge,
parece que essa é a busca dos poetas, algo que vá além do que está escrito, para além das linhas e entrelinhas. O poema para se sentir com as mãos.
Rapaz! gosto sempre de vir aqui saborear os frutos da sua palavra.
Um abraço
Jacinta

Mésmero disse...

Onde consegue essas fotos bacanas?

Desculpa por não ter ido ao lançamento, eu estudo à noite e tinha matéria importante naquele dia.

Desculpa mesmo, Jorge. Queria muito ter ido.


Abraço!!

Ah, qual a possibilidade de, quando comprar seu livro, receber um autógrafo?

Lunna Montez'zinny disse...

Que delícia de verso. No meio da noite, alta, intensa, fiquei sem ter o que dizer, então contemplei novamente o verso. Enfim, suspirei profundamente e me perdi. E olha que eu nem sei se desejo realmente me encontrar. Identidade??? Da alma através da poesia...

Jorge Elias disse...

Hanne,

Poxa... Não cheguei a tempo de deseja-la boa noite.
Grato pelo comentário sobre o poema

******

Maria,

E viva a poesia! Nossa cachaça de todos os dias!

********

Dauri,

Resolvi postar um poema mais "light" pois os que tenho escrito ultimamente (vou postar um logo em seguida), vão acabar "afastando" meus amigos de Blog!
BRINCADEIRA!!!

Um abraço

********

Ivone,

Impossível deixar de visitá-la!


****************

Amiga Jacinta,

É sempre bom tê-la por aqui.
E vamos continuar nossa "busca" pela palavra.

Abraços,



*************

Mésmero,

As fotos eu peço aos meus filhos,amigos e garimpo na internet (para quem não tem a necessidade de obter uma foto original, necessita apenas de alguma que tenha alguma relação com o poema, eu recomendo o site CORBIS.
Autógrafo? Meu amigo, somos vizinhos, seria bom mesmo é um aperto de mãos (para nos conhecermos) e, se for de seu agrado, uma bebida gelada para amenizar esse calor de Vitória!
Entre em contato no email que eu deixei no Blog.



Um abraço,

Gi disse...

ah mas a sua poesia já tem desidade que chegue :)

Um beijo. É sempre bom passar por aqui e beebr as tuas palavras. Noite feliz

Assis de Mello disse...

Belíssimos, densos poemas, Jorge !!! Do tipo imprescindível.
Estou te linkando ao meu blog, ok ? Apareça pra uma visitinha.
Abraço,
Assis de Mello (Chico)
http://coisasdochico.blogspot.com

zelia disse...

...bonito! Um recado completo em poucas palavras...Beijos e um dia feliz!

Rita Costa disse...

Uma maravilha esse poema. Parabéns, Jorge Elias!
Venho com mais tempo para ler outros versos. Um abraço.

ADRIANO NUNES disse...

CARO POETA,

Belo poema!

Abraços!


Adriano Nunes.