sexta-feira, 4 de janeiro de 2008

01 de janeiro de 2008


Após o pão e circo,
sigo em busca da ciência de desinventar.

No vazio do salão amanhecido
ainda ressoam os ecos das champanhes,
os alaridos esperançosos,
os sussurros de cumplicidade.

De sólido,
ficaram os confetes e serpentinas,
que nada entendem da solidão.

(Para não dizer que não falei...)



Recomeço,
e essa sombra de hoje
nada diz do homem que fui

12 comentários:

Maria disse...

... de flores....

Bom ano 2008

isabel mendes ferreira disse...

a solidão aqui é de "festa"...de prazer de ler.



forte abraço.



______________bom ano. sim. que seja.


obrigada.

Leila Lopes disse...

Oi Jorge,
que o nosso ano seja repleto de poesia.

Você conhece a revista eletrônica Diveros Afins www.diversos-afins.blogspot.com
?
Gostaríamos de entrar em contato com você por nosso e-mail: diversosafins@blogspot.com
(não temos o seu e-mail para contato)
Aguardo, então um retorno.

Bjs

Leila Lopes disse...

correção do e-mail:
diversosafins@gmail.com

Dauri Batisti disse...

Oi Jorge,

Obrigado pela visita.
Permita-me brincar com suas palavras... de sólido ficou a poesia. E que ela fique cada dia mais.

Um abraço,

Dauri Batisti

Oliver Pickwick disse...

Aprecio o seu talento múltiplo, caro Jorge, pois além de iniciado nas ciências biológicas, conforme demonstrado na sua Teoria do Acúmulo de Endorfina Nas Mulheres, só mesmo a sua inspiração privilegiada é capaz de buscar a ciência de desinventar, além de perceber que confetes e serpentinas não têm a exata compreensão do estado de solidão.
Além do mais, confrontando certo imperador da Roma antiga, seus versos exibem que panis et circensis, por sí só, não são bons condutores da felicidade.
Abraços!

Jorge Elias disse...

Maria

Sempre de flores...
Soube-se vc o quanto gosto de flores...

-------------

Isabel,

Receber sua visita é uma inspiração à mais.
Bom ano para vc também.

-----------
Dauri,

Vamos buscar cada vez mais esta poesia que embriaga.
Um grande abraço,

----------------

Mr. Pickwick,

Já que gosta de teoria, segue outra:

Nós, amantes de literatura, buscamos nossa endorfina no orvalho das páginas e dos Blogs.

Um abraço.

KÁTIA CORRÊA DE CARLI disse...

Oi querido

Estou de volta... Feliz 2008, embora um pouco atrasado.
Estou me refazendo, me recompondo, me redescobrindo... e sabe, estou gostando!
Um grande beijo

Kátia

Gi disse...

Falou ... e falou muito bem

Bom ano Jorge, continua a presentear-nos com a tua escrita. Fico feliz que me tenhas descoberto. porque te descobri.

Um beijo, BOM ANO

Hanne Mendes disse...

A verdade é que mesmo quando se tem comida, diversão e arte não se tem tudo, ainda não é o suficiente.

Um bom ano pra você também, Jorge.
Abraço.

Disguiser disse...

Então, que desinventemos!

rs

também nem sei muito de confetes e serpentinas...


Jorge Elias, sucesso em seus projetos e muita inspiração nesse novo ano.

um abraço

Jacinta disse...

É Jorge,
E no recomeço, penso no que fui e no que serei, e sabe que começo a gostar mais do que sou.
Um abraço

Jacinta