sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Ao sal


Cumuruxatiba - Bahia
Foto: Jorge Elias



O último passo – o de ida.
E assim devia ser para todo o sempre.

As amarras permaneceram tensas,
como se desconhecessem sua inutilidade.

O último espaço ficou suspenso.
Num retalho de tempo,

a dúvida da volta.
E então passou o prazo,

e tombou o píer, de joelhos,
sobre o velho mar.



(Rascunhos do absurdo – 2009)

7 comentários:

Dauri Batisti disse...

O mar, o mar. Na verdade nós também tombamos diante dele. Há algo ali que nos convida à contemplação, à poesia, à filosofia
e ao prazer.

Lindo poema, e a foto também.

Abraço.

Opuntia disse...

O mar... quem não se curva diante de tanta beleza imponente!

Belo poema!

Jacinta Dantas disse...

O passo requer sabedoria. Indo ou voltando, com sabedoria, é sempre o passo de ida. Sábias são as ondas do mar - vão e vem - sem demora, no momento certo.
Abração
Saudade de vc lá no meu florescer.

Elton Pinheiro disse...

Salve,
cheguei navegando pelo blog A Físsil ...
Gostei dos poemas.. o que é Rascunhos do absurdo (ótimo nome)? Um livro? onde tem?

Ah, meu nome é Elton

[ ]s

Elton Pinheiro disse...

...Agora que vi que é um livro... inédito. E vi também que o Verdes Versos é o que folheei (me parece) no estande dos escritores capixabas,,edição bonita..

jorge disse...

Dauri, Opuntia e Jacinta,

tenho acompanhado o desaparecimento desse pier de Cumuruxatiba ao longo dos últimos anos. Isso tem me proporcionado belas fotos e, sobretudo, muitas reflexões sobre a vida.



xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Prezado Elton,

Rascunhos do absurdo é o nome de meu segundo livro que pretendo lançar no inicio do próximo ano (encontra-se na fase de finalização - editora).
Agradeço seu comentário sobre o nome (fiquei muito feliz em conseguir um nome-sintese para o livro).
Quanto a edição de Verdes Versos, é obra de Miguel Marvilla, soberbo editor. A capa foi uma idéia minha sobre um trabalho do grande artista plástico capixaba Hilal Sami Hilal.

Grande abraço,

Elton Pinheiro disse...

Jorge,
obrigado pelo retorno. Parabéns pela bela publicação. Tanto Miguel Marvilla quanto Hilal Sami Hilal são artistas com obras de rara elegância, píer em que vc também parece aportar com passo firme. Por gentileza, me informe da edição do teu próximo livro.

Abraço,
Elton